segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A missão dos animais de estimação entre nós e a dura hora da separação

Muito comum observarmos pessoas adotando animais de estimação, transformando tal ato em motivo de grande alegria.
E assim, vai surgindo a afinidade entre homem e animal juntamente com o companheirismo, parceria, confiança, amor, segurança, proteção e alegria.
E tal relacionamento consegue ter tanta pureza que chega ao ponto de despertar no dono sentimentos os quais muitas vezes ele não consegue ter pelos outros homens.
Deus, na sua sabedoria, faz então que tal despertar de valores de grande importância comecem a se fazer presentes no coração dos homens, dando a eles a oportunidade de poder desenvolver também com o seu próximo.
Quanto aos animais, estes aprendem com os seus donos, em geral, a inibir a agressividade, brincar, sorrir, proteger e dar assim seus passinhos rumo ao seu desenvolvimento.
Comparativamente falando, os espíritos de luz nos dizem que nosso grau de evolução perante Deus é comparável ao de um animal perante nós. E se conseguimos amar tanto e tanto e tanto os nossos bichinhos de estimação, possível se torna uma breve noção do quanto Deus nos ama e faz por nós, objetivando o nosso progresso e evolução.
Os bichinhos de estimação, em geral, tem curto tempo no plano espiritual, vindo a reencarnar num espaço de tempo bem menor do que o dos homens. Tal fato se dá principalmente porque, ao contrário dos homens, os animais não precisam passar grande tempo por zonas como o umbral (de trevas) a fim de eliminar as vibrações negativas acumuladas enquanto encarnado. 
E como o animal tem a chance de reencarnar logo, chega a haver casos onde possível se faz, pela misericórdia de Deus, que aquele bichinho possa vir a se reencontrar com o seu próprio dono nesta mesma experiência encarnatória.
Vale também lembrar que com o desencarne do bichinho de estimação, este continua recebendo e sentindo as energias emitidas por seus donos.
O dono de um bichinho de estimação, independentemente do que estiver sentindo em seu coração, consegue muitas vezes disfarçar e fazer com que as pessoas não percebam isso, entretanto dificilmente ele consegue enganar o seu amigão de estimação.
Ora se no estado encarnado o bicho consegue perceber isso, imagine o quão grande fica sua sensibilidade em relação aos homens e seu dono em especial, depois que ele desencarna?
Que possam os donos desses bichinhos trabalharem e educarem cada vez mais as suas vibrações, fazendo valer que a saudade é um sentimento de amor que nutre o próximo (seja animal ou homem) de boas energias, entretanto o sentimento de tristeza pouco ajuda em relação a este quadro.
Vibre faça a preces pelo seu amigão, mas principalmente procure trocar o sentimento de inconformismo pelo de gratidão a Deus pela oportunidade que lhe foi concedida para compartilhar tão bons momentos com o seu melhor amigo.

Muita paz, muito amor e muita força sempre!

Psicografado pelo espírito Heráclito em 25/08/2014, às 21:55

Nota do médium: 
O médium tem vários animais de estimação, cada um com características e comportamentos diferentes (um é mais carinhos, outro é mais bagunceiro, etc). 
Enquanto se preparava para psicografar, uma gatinha cuja característica principal é sua aversão em ficar no colo das pessoas, subiu espontaneamente no colo do médium, deitou-se e ficou a olhá-lo até que começasse a psicografia, quando então saiu e foi deitar-se no sofá. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário